Ultimas Notícias

Presidente do CRO-TO Parabeniza os Cirurgiões-Dentistas pelo o seu dia

25/10/2017 14h12 | Atualizado em: 26/10/2017 11h17


Funcionários do CRO-TO parabenizam o presidente do CRO-TO, Dr. Nelson Alves de Castro pelo o Dia do Dentista

A Odontologia era um marco na minha vida. E tenho certeza que ela é para muitos profissionais agora. Eu me recordo bem, e com grande saudosismo, que ao vir para o então Estado de Goiás, em meados do ano de 1984, com pouco tempo de casado e recém formado em Alfenas-MG, me afeiçoei de pronto, como amor à primeira vista, pela peculiar e módica cidade Colinas do Tocantins, onde tenho o prazer e orgulho de dizer que é minha casa.

Por razões óbvias não fora por busca de conforto ou a disponibilidade dos aparatos consumeiristas de grandes centros, mas sim por desejo de levar a odontologia aos rincões do país.
Além de me retirar do aconchego da minha terra natal, e fazer levar saúde a uma região esquecida no passado, a odontologia transformou minha vida. E certamente, sem eufemismos, definiu a vida de duas filhas, oito sobrinhos e alguns pacientes, que envolvidos pelos freqüentes diálogos apaixonado do pai, tio e dentista pela profissão, resolveram trilhar e me ombrear nesta linda arte, confesso, com manto ofício.

Hoje posso refletir e concluir, com calma e serenidade de calejados trinta e sete anos de profissão, o que naquela época já estava se moldando à minha sina, e eu, míope aos engenhos do destino, não percebia as transformações que a Odontologia estava, e ainda estão – pasmem – a me propiciar.

Após prestar uma assistência odontológica com paixão, vontade, qualidade, disciplina, paciência e respeito ao paciente percebi que algo mais não se encaixava.

Não bastava apenas eu estar bem se os colegas, naquelas conversas nos corredores dos postos de saúde, consultórios ou em desabafo nas esquinas da vida, confessassem que estavam arrependidos de terem escolhido a profissão de dentista. Algo estava errado.

Passei a compreender amplamente as limitações e entraves existentes no caminho da profissão, que às vezes não se mostram para um, mas para um número considerável, são instransponíveis. E isso passou a me incomodar e incomoda até hoje.

Após o estalo, ainda em 1998, dediquei-me a fazer algo voluntário pela classe e foi quando comecei a fazer parte do Conselho Regional de Odontologia do Tocantins. De lá para cá, muito ocorreu.

Atualmente, podemos citar algumas ações em que, com trabalho conjunto com o Conselho Federal de Odontologia, minoramos alguns dos obstáculos à frente da categoria.

De início a criação da Comissão de Odontologia Hospitalar de forma sistemática nos regionais e Conselho Federal, já demonstra formalmente uma nova preocupação e paradigma às atividades odontológicas visando uma imersão do profissional na saúde bucal e garantia de assistência odontológica ao cidadão.

Noutra frente, existe a questão a da aplicação da toxina botulínica (botox), que após cinco edições e aperfeiçoamentos, atribui a sua prática ao profissional odontólogo, no intuito de garantia a ele, o planejamento e a implementação da harmonização orofacial.

Recomendações e repreensões a realização de “cursos de fim de semana” no intuito claro de fomentar a realização da odontologia de massa e não se atentando a elementos básicos e norteadores da atividade que é ser um meio e não o resultado.

Otimizamos os procedimentos de nossa arrecadação, que ainda é precária mas já apresenta sinais de melhora, instituindo um REFIS que permite o parcelamento de débitos e descontos proporcionais de juros e multas.Uma boa oportunidade para quem quer ficar regular.

Estamos editando uma norma para o Termo de Ajuste de Conduta dos profissionais que forem autuados realizando publicidade e propaganda de forma ilegal e impondo multas a quem os descumprir. A ideia é reduzir o tempo dos processos éticos e acabar com prática que malsina a classe.

Por fim, citamos a Frente Parlamentar da Odontologia, lançada na Semana Nacional da Odontologia, que na essência visa compilar todos os projetos afetos a odontologia no Congresso Nacional (mais de 30, em temas como salário base da categoria, ensino a distância, regulação de atividades privativas) e promover a sua discussão técnica com aprofundamento, criar vínculo de parlamentares com a classe e, posteriormente, dar impulso aos processos de votação.

Mas é preciso muito mais.

Hoje a Odontologia não representa apenas um marco, um limite ou um pedaço, como dito no início, da minha vida. As velas que acendi no caminho da vida (e não as que se apaga como de costume nos aniversários) me permitem constatar que minha vida e a odontologia se confundem, se misturam. Em verdade se fundiram em perfeita simbiose.

E, como cirurgião-dentista em mais uma vela acessa pelo dia do dentista, desejo a todos os profissionais que neste dia do cirurgião-dentista possam se permitir, se não, envolverem-se no espírito, como sempre faço, de se sentir pleno por ser e viver inteiramente a odontologia.

Parabéns pela sua escolha.

Parabéns pelo dia, em especial. Porque, afinal de contas, todo dia é o dia do dentista.

Nelson Alves de Castro
Presidente do CRO-TO



Comentar

  • Nome: *
  • E-mail: *
  • Website/blog: (ex: http://www.seublog.com.br)
  • Mensagem: *
  •  

Comentários ()

  • Nenhum comentário publicado.
602 Sul, Av. LO 15, Conjunto 02, Lt. 02
CEP: 77.022-008 | Palmas - TO
(63) 3214-4335 / (63) 3214-3736 (63) 9 9928-8177 [email protected]

Copyright © 2013 CRO-TO. Todos os direitos reservados